Troca de críticas entre Styvenson e Allyson Bezerra esquenta bastidores

O senador Styvenson Valentim (PODE) e o prefeito de Mossoró, Allyson Bezerra (SDD), estão entre os assuntos deste início de semana no mundo político do Rio Grande do Norte.

Tudo começou, quando em entrevista a um podcast local, o parlamentar prometeu não enviar mais recursos ao município do Oeste Potiguar, e colocou a culpa no prefeito que não teria prestado contas de uma emenda destinada à Saúde de Mossoró para a realização de cirurgias eletivas.

“Mandei quase R$ 4 milhões para cirurgias, o cara disse que ia mandar a lista de pessoas que iam fazer o exame e nunca mandou. Fica posando disso e daquilo. Manda a relação, pô. Publique para as pessoas verem quem são essas pessoas que vão fazer cirurgia. Que eu nunca vi isso aí. Agora o dinheiro tá lá, o dinheiro foi mandado da emenda individual”, disse Styvenson criticando o prefeito.

O senador entende que o líder do executivo mossoroense deveria entregar a ele uma listagem com o nome de todas as pessoas que foram beneficiadas com a emenda. Ou seja, ele quer saber quem fez as cirurgias com os recursos destinados pelo seu mandato. Segundo o capitão, enquanto essa ‘prestação de contas’ não for feita, ele não receberá o prefeito Allyson Bezerra em seu gabinete, nem enviará recursos para Mossoró.

“Agora dor de barriga não só dá uma vez. Eu tenho ainda quatro anos. Vamos ver se ele tem coragem de ir lá. Vamos ver. Porque sem prestar contas do dinheiro que eu mandei, não perca seu tempo de ir lá em Brasília. Passe para outro gabinete, para esse não. Não vou mandar dinheiro e vou dizer o porquê que eu não mando para a cidade. Porque não prestou contas. ‘Ah então não dou apoio’. F…-se com seu apoio. Não estou nem aí para ele. Nunca cobrei emenda por apoio”, falou o senador.

As declarações de Styvenson repercutiram no Palácio da Resistência, sede da Prefeitura Municipal de Mossoró. Allyson Bezerra usou as redes sociais para responder ao senador, e foi duro nas críticas. Segundo o prefeito, as prestações de contas que devem ser feitas, já foram encaminhadas ao gabinete do senador por meio do Ministério Público do Estado do Rio Grande do Norte.

Para confirmar o envio das informações, na publicação, ele anexou cópia do despacho, assinado pelo promotor Rodrigo Pessoa de Morais, da 1ª Promotoria de Justiça da Comarca de Mossoró.

Além do documento oficial, a seguinte mensagem foi publicada: “Senador mentiroso, arrogante e mal informado, você recebeu desde abril as informações das cirurgias que solicitou. Foi-lhe enviado, via ofício, pelo próprio MP, os documentos que a Secretaria de Saúde mandou”.

O documento é datado de 11 de abril, e a entrevista do capitão foi publicada no dia 20 de maio, mais de um mês depois da prestação das informações.

O senador tem adotado, desde o início do mandato, uma postura moralista e de transparência máxima, cobrando dos prefeitos mais do que a própria legislação determina.

Há órgãos responsáveis para fazer a fiscalização de contas das prefeituras, como os tribunais de contas dos estados e da União, as controladorias-gerais, além do próprio Ministério Público.

O modo como Styvenson age atrai atenção para ele, e aumenta a burocracia a ser resolvida pelos líderes municipais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.