Torcedor do Flamengo tem prisão decretada após assediar repórter da ESPN

O torcedor que assediou, nesta quarta-feira (7), a repórter Jéssica Dias, da ESPN, enquanto ela trabalhava no entorno do Maracanã, teve a prisão decretada após audiência de custódia no Juizado Especial Criminal, no estádio. Marcelo Benevides Silva foi autuado por importunação sexual e encaminhado para a 19ª DP, na Tijuca.

Nesta quinta (8) o torcedor será levado para uma audiência em alguma unidade da Secretaria de Administração Penitenciária (SEAP). Se mantida a prisão, ele será transferido para um presídio.

O assédio

O caso aconteceu minutos antes da partida entre Flamengo e Vélez Sarsfield, pela semifinal da Copa Libertadores. 

Nas imagens da transmissão, é possível ver o momento em que Jéssica sofre o assédio. Ela passava as informações sobre a partida do Flamengo e mostrava a animação da torcida quando um dos homens se aproxima e a beija sem consentimento. Pelas redes sociais, a ESPN repudiou o episódio e informou que está tomando as providências necessárias.

A repórter também recebeu apoio de outras emissoras de TV e clubes de futebol. No Twitter, o Flamengo lamentou o ocorrido e reforçou que “atos repugnantes como esse não representam a Nação Rubro-Negra”.

“O Clube de Regatas do Flamengo repudia o assédio cometido por um torcedor rubro-negro com a jornalista da ESPN Jéssica Dias durante reportagem antes da partida desta noite. É lamentável que atos repugnantes como este, que não representam a Nação Rubro-Negra, ainda aconteçam”, registrou o clube em seu perfil nas redes sociais.

O Vasco, rival do Flamengo no Rio de Janeiro, também prestou solidariedade à jornalista da ESPN. Outros veículos esportivos, como SporTV, TNT Sports e GE.com, também saíram em defesa da repórter e repudiaram a atitude do torcedor rubro-negro. O torcedor terá de responder criminalmente.

A ESPN se manifestou em nota. Confira: “Nossa repórter Jéssica Dias foi hoje vítima de assédio na porta do Maracanã, onde trabalhava na cobertura de Flamengo x Velez. Atitudes como essa não cabem hoje no nosso planeta, seja em um jogo de futebol ou na casa de qualquer mulher. Nossa equipe que acompanhava a Jéssica conseguiu segurar o agressor e pediu à polícia que o encaminhasse para a delegacia do Maracanã. Jéssica, como toda mulher deve fazer, registrou boletim de ocorrência. A ESPN e a Disney repudiam qualquer tipo de agressão contra as mulheres. A empresa vai dar todo apoio a nossa repórter e esperamos que o agressor seja punido com todo o rigor que a lei permite”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.