Roberto Serquiz defende educação de base para formar jovens para a indústria

Marcada para novembro, a eleição para a presidência da Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte (Fiern) terá chapa única encabeçada por Roberto Serquiz, atual diretor primeiro tesoureiro após acordo com Sílvio Bezerra, um dos vice-presidentes da Federação, que admitiu ser pré-candidato ao cargo.

O certame acontece no dia 30 de novembro e o mandato terá início apenas em outubro do ano que vem.

Serquiz adiantou que trabalhará pela modernização do estatuto a ponto de adotar um mandato único de cinco anos sem direito a reeleição; medida que conta com apoio de Bezerra.

À reportagem, o atual primeiro tesoureiro da Fiern avaliou a decisão como uma conciliação do segmento. “É para somar, e não dividir. Essa foi a intenção, Silvio compreendeu e nós também e caminhamos ao acordo”, contou.

No entanto, Roberto Serquiz ainda fala com cautela sobre as eleições. “A eleição é dia 30 de novembro. Não significa pelo fato de ser chapa única que eu fui eleito. Temos que aguardar o dia. A eleição é eleição de foro”, ponderou.

Questionado, Roberto Serquiz adiantou algumas propostas para o mandato, que segundo ele terá cinco pilares básicos. Entre eles investimentos na educação de base, já atraindo estudantes para o mundo da indústria desde o ensino fundamental.

“A unidade do Sesi de São Gonçalo do Amarante já adota esse processo educacional. Hoje, por exemplo, temos um potencial de 1180 matrículas e temos 520. O aluno chega no fundamental, uma turma de 9ª série, trabalhando a questão da robótica, utilizando português, ciência, matemática e robótica. Quando termina, pode migrar para o ensino médio no Senai da Capitão Mor-Gouveia [em Natal] com aspecto profissionalizante. Isso traz todo um início para qualificar o jovem, o futuro industriário”, disse.

Ele ainda defendeu que o trabalho será uma continuação do legado já construído por Amaro Sales, atual presidente da entidade, assim como uma reformulação da unidade do SESI em Mossoró, no Oeste potiguar. Entre as propostas, também faz parte uma aproximação maior da Fiern ao segmento para ampliar as bases sindicais no estado.

“São 7.139 indústrias no estado e 10% estão ligadas à federação. Temos o desafio de ampliar a base sindical para que a gente possa trazer a utilização desse potencial construído, para promoção da indústria do RN”, adiantou.

Outra questão que faz parte dos planos de Serquiz seria acompanhar a agenda legislativa do estado com base nos interesses da indústria. “Você precisa se aproximar dos parlamentares, acompanhar os projetos, ver o que se pensa, para qualificar estes projetos dentro da visão do empresário”, adiantou.

Por meio de nota, Sílvio Bezerra se manifestou e disse que “mais importante que a disputa por cargos, é termos o apoio e o compromisso do futuro presidente”.

Ele também adiantou que vai estar disponível “para contribuir com o fortalecimento da nossa Fiern e da nossa indústria, através da construção de uma agenda pró-indústria a ser defendida por todos.”

Matéria conjunta entre Estadão, Jornal do Estado e Agora RN.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.