EMPRESÁRIA CÉLIA AMORIM, CONHEÇA A TRAJETÓRIA EMPREENDEDORA DE UMA MULHER DE CORAGEM!

EXPERIÊNCIA: Célia foi presidente da REDECON, gestão 2019-2021, aonde realizou notável trabalho de fortalecimento da marca no RN.

VISIONÁRIA: “Foi uma oportunidade única, ela apareceu, e você precisar ‘pegar’, pois não sabemos se virar a próxima”, disse a empresária. 

Em entrevista para o programa “Mandou BEM”, apresentado pelo jornalista Jussier Ramalho, a empresária Célia Amorim Dantas, falou um pouco de sua trajetória de vida, dos desafios de ser empreendedora, dos primeiros passos no mercado de trabalho, da experiência pessoal e empresarial de sucesso que a tornou uma das mais figuras mais respeitadas de Parnamirim e do Estado do Rio Grande do Norte, também falou de sua ex gestão como presidenta da REDECON, aonde foi um divisor de águas para essa importante associação empresarial Potiguar.

Célia Amorim é diretora de um grupo empresarial que atualmente gera cerca de 200 empregos diretos e outras dezenas de indiretos, formado pelas seguintes empresas: REDECON, Central da Construção, Aço 101 e Comercial 101, com lojas em Parnamirim; e REDECON Casa & Cimento, em Goianinha.

FAMÍLIA

Inicialmente Jussier quis saber de Célia Amorim quando foi sua chegada ao Município de Parnamirim. Ela disse que quando seu pai se aposentou, era funcionário público federal, decidiu vir com a família para Parnamirim, ela tinha apenas 15 anos de idade, Célia enalteceu a figura do pai, o senhor Pedro Barros de Amorim, de saudosa memória, um homem à frente do seu tempo, fez a faculdade da vida, foi ele que projetou e apoiou Célia para ela se tornar empresária e ter um futuro brilhante no comércio, ela afirmou ainda que seu Pedro foi o ‘porto seguro’ para todos da família, apoiando seus irmãos a abrirem empresas na cidade “Trampolim da Vitória”. Seu Pedro era casado com a senhora Maria Simplicia Targino, com quem teve oito filhos. Quando seu Pedro faleceu, ele tinha 97 anos, mas teve o privilégio de ver sua amada Célia se projetando como uma árvore que viu crescer e que geraria bons frutos.

ÁRVORE: Célia com a mãe, dona Maria Simplício, e as irmãs, Cristina e Selma. Frutos…
O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 998575_586461484730294_884323730_n.jpg
EXEMPLO DE SABEDORIA: O pai com a irmã Selma; seu Pedro Barros de Amorim, foi ele quem disse que Célia seria árvore que daria muitos frutos.

ADOLESCÊNCIA EM PARNAMIRIM

 “Ao chegarmos à cidade, me apaixonei logo por Parnamirim. Um dia meu pai me disse que eu seria a árvore que ele iria deixar para cobrir os frutos. E eu fiquei com isso gravado. Eu pensei: uma árvore precisa ser forte. Seria um comércio, pai? Então ele me disse: sim, é o caminho. A partir daí nasceu um sonho”.

Célia antes de completar 18 anos, trabalhou como auxiliar administrativa na Sperb, ficou por dois anos, naquela época, a Sperb era uma das maiores empresas do Nordeste no setor têxtil; depois teve mais uma experiência numa imobiliária, aonde com sua afinidade comercial, rapidamente se tornou gerente, e quando completou 20 anos, casou e se mudou para São Paulo, lá ela trabalhou também no ramo imobiliário e o marido, empresário Dionísio Dantas, no de alimentação.

E como todo nordestino, um dia você quer voltar para sua terra, e essa oportunidade de voltar surgiu depois de passar cinco anos em São Paulo. “Era para Campina Grande (PB), aí falei, opa, Nordeste, é perto da minha terra, e por lá ficamos 11 anos no ramo de alimentação e confecção, já trabalhando como empregadora”, relembra Célia.

CIDADÃ PARNAMIRINENSE: Empresária recebeu o título honorifico pelos relevantes serviços prestados à municipalidade.

DE UMA PEQUENA LOJA EM 2005, PARA UMA LOJA COM MIL METROS QUADRADOS HOJE

Foi no ano de 2005 que surgiu uma grande oportunidade para a família voltar para casa, e uma pessoa estava indo embora de Parnamirim e queria vender uma loja do ramo de material de construção no centro da cidade na BR-101, e Célia, com sua visão empreendedora, agarrou essa chance para investir num setor que possuía poucas lojas ainda em Parnamirim, entretanto ela não tinha a menor experiência, foi um achado mesmo. E daquele ano até hoje, já se passaram 16 anos de muito aprendizado e uma carreira de muito sucesso.

“Foi uma oportunidade única, ela apareceu, e você precisar ‘pegar’, pois não sabemos se virar a próxima”, disse a empresária. Célia recorda também que ao assumir o negócio em 2005, a loja vendia basicamente apenas três itens: cimento, piso e argamassa, e com muito planejamento, chegou a 30 itens. “Era uma loja bem pequena, mas nós a transformamos num espaço de mil metros quadrados de exposição e mais de 10 mil itens à disposição dos nossos clientes”.

APOIO INCONDICIONAL: Dionísio, primeiro à esquerda, esposo sempre presente ao lado da mulher. “Ele sempre esteve comigo nos momentos mais importantes da minha vida, é o meu amor”, disse a empresária.

GESTÃO NA REDECON

Com a credibilidade consolidada, Célia Amorim, viu seu nome ganhar mais notoriedade e respeito junto aos empreendedores potiguares, e assim surgiu o convite para assumir a presidência da Redecon. A empresária confessa que foi algo inusitado, pois ela está saindo da administração de quatro empresas familiares, para assumir 29 lojas. A Redecon quando ela assumiu a gestão há dois anos atrás, possuía apenas 12 associados, e hoje, a rede conta com 23 sócios em 29 lojas em todo o estado do Rio Grande do Norte. Ela cumpriu sua missão com a mesma garra, coragem e visão empreendedora que sempre norteou seus projetos.

 “É o conjunto da obra, então, eu me associei há 10 anos numa rede de material de construção, porque eu acredito muito no associativismo, eu queria aprender, queria crescer, e fui entendendo como funcionava as coisas, e para atingir esse algo mais, eu aprendi que teria que está à frente da rede, e sou muito grata ao senhor Lacerda (fundador da Redecon)”.

“Eu aprendi bastante com ele, eu sempre quis inovar, ampliar os horizontes, tinha o sonho de ampliar a rede, gostaria de ser um divisor de águas, gostaria de escrever minha história, mas isso só foi possível por que sempre nos bastidores tinha uma equipe, uma diretoria que sempre confiou em mim, tenho uma família que está do meu lado em todos os momentos, saio com a certeza do dever cumprido”.

E por fim, concluindo a bela entrevista ao jornalista Jussier Ramalho, ela citou que na vida nada é fácil, como uma mulher corajosa que sempre foi, lembrou mais uma vez dos ensinamentos do seu pai que não tinha formação acadêmica, mas tinha a faculdade da vida para servir de espelho para seus filhos.

O que é sucesso então na opinião da empresária? Ele concluiu dizendo: “Eu diria que sucesso, é nunca desistir. A estrada nem sempre será plana, mas você vai conseguir”.

CONFIANÇA: Empresário Aluísio Lacerda abriu as portas da REDECON para Célia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.