EM NÍSIA FLORESTA PROJETO NOVOS TALENTOS CRUZADOR FUTEBOL CLUBE ESTÁ ENTRE OS MAIS ORGANIZADOS DA GRANDE NATAL

SERIEDADE E COMPROMETIMENTO: PROFESSOR CLAUDIONISO ‘PELADO’ COM SEUS ALUNOS NO ESTÁDIO MUNICIPAL DE NÍSIA FLORESTA.

Claudioniso da Silva, conhecido como “Pelado” se dedica integralmente à Escolinha de Futebol “Novos Talentos Cruzador Futebol Clube”, em Nísia Floresta. São cerca de 100 alunos que participam ativamente do projeto esportivo com o futebol de campo sendo a principal atividade desportiva. “Pelado” concedeu entrevista ao jornalista Genilson Souto aonde falou um pouco de sua experiência como ex-atleta e agora como professor da escolinha, que tem como missão principal ajudar essa garotada boa de bola, também ficar boa de mente, a viver em harmonia com a família e sociedade. “Nosso maior objetivo é formar cidadãos disciplinados e que possam viver em paz uns com os outros, sempre focados na educação e no esporte”, disse o fundador do projeto.

JORNAL DO ESTADO: Quando teve início sua escolinha e porque você se identificou com o trabalho com a garotada?

CLAUDIONISO PELADO: O projeto surgiu no dia 26 de março de 2016. A maior identificação foi desenvolver um trabalho voluntário para ocupar esses jovens quando eles não estavam em sala de aula. Eu via muitos garotos ocupando a mente com coisas que poderia atrapalhar a formação deles como cidadãos; como frequentar festas e ficar em mesas de bares em suas comunidades, isso chamou minha atenção para fazer um trabalho social e poder colaborar com um futuro melhor para essa juventude da minha cidade.

DEDICAÇÃO: JOVENS ATLETAS TREINAM FORTE PARA CONQUISTAR UM FUTURO MELHOR ATRAVÉS DO ESPORTE.

JORNAL DO ESTADO: Qual o maior objetivo da escolinha?

PELADO: Formar bons cidadãos para viver na sociedade de maneira harmoniosa e disciplinada, respeitando os bons costumes. 

JORNAL DO ESTADO: Quantos atletas estão participando do projeto?

PELADO: Quando a gente treinava no campo do Cruzador nós tínhamos 140 alunos; hoje nós treinamos no estádio municipal, apesar de ficar mais um pouco afastado, nós contamos com uma média de 90 a 100 garotos.

JORNAL DO ESTADO: Que sentimento você tem de lutar por esse projeto esportivo? 

PELADO: O sentimento é de muita dedicação e amor ao esporte. 

JORNAL DO ESTADO: Quem são seus maiores incentivadores? E os patrocinadores, cite alguns?

PELADO: Meu professor Vanvoca e todos os meus alunos; meus patrocinadores são meus colegas de futebol e dona Elaine que é a secretária da SEMTHAS. 

JORNAL DO ESTADO: Cite alguns destaques e de quais categorias?

PELADO: Temos vários bons garotos na categoria SUB-17; temos André, Yure, Pedro, Jhonatan e Matheus. No SUB-15, temos William, Rafael, Marcos Paulo, e Vitinho; e no SUB-10, Gabriel goleiro, além de Tales, João Miguel, Caleu e Renzo. 

‘PELADO’ DIZ QUE PROJETO É FEITO POR AMOR AO ESPORTE

JORNAL DO ESTADO: Como surgiu o apelido ‘Pelado’?

PELADO: Quando eu era novinho eu era bem carequinha aí um primo meu só chamava peladinho, e por causa disso ficaram me chamando de Pelado ai ficou até hoje. 

JORNAL DO ESTADO: Você é de Parnamirim, mas foi em Nísia Floresta que fundou seu projeto esportivo. Porquê?

PELADO: Eu morava em Nísia Floresta, aí fui trabalhar em Parnamirim, e foi lá que conheci a minha esposa. Aí tive que trabalhar e morar em Parnamirim, mas com o passar do tempo ganhei minha casa em Nísia, voltei com minha família, foi quando eu fundei o meu primeiro projeto que era “Ação Cristã”, e com o passar do tempo fiz uma parceria com o clube Cruzador daí surgiu o projeto ”Novos Talentos”.  

JORNAL DO ESTADO: Você continua jogando, como é essa paixão pelo futebol?

PELADO: Continuo sim na ativa. A paixão pelo futebol é algo sem explicação. O esporte é tudo de bom na vida de todos os praticantes. 

JORNAL DO ESTADO: Quem é o seu ídolo no esporte?

PELADO:  Ele não é famoso, não está nas mídias do futebol, mas foi um cara que me inspirei no futebol. É uma pessoa de hábitos simples, humilde e se chama Erivan de Morrinhos. 

JORNAL DO ESTADO: Qual a sua maior decepção?

PELADO: Com pessoas que poderiam ajudar e incentivar esses projetos; não só o meu, como os dos meus colegas professores Auri, Vinicius, Alex. Mas vida que segue, dias melhores virão! 

JORNAL DO ESTADO: Qual o maior troféu que o esporte lhe deu?

PELADO: O conhecimento no futebol como jogador e professor e muitas boas amizades.   

JORNAL DO ESTADO: Suas considerações finais.

PELADO: Só uma frase: Gratidão a Deus em primeiro lugar e muito obrigado a pessoas como você que nos incentiva a continuar lutando pelo esporte como ferramenta de transformação social e humana. 

Por Genilson Souto – Jornalista.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.