Áudio de marido de prefeita indica compra de apoio político por Rogério e ameaça velada a professores que não votam no ex-ministro

O ex-prefeito de Rafael Godeiro e marido da atual prefeita, Abel Filho, teve um áudio vazado recentemente que indica o uso político do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) por Rogério Marinho, candidato ao Senado Federal pelo PL – partido do presidente Jair Bolsonaro. No áudio, Abel diz que Marinho foi responsável por conseguir um caminhão compactador de lixo para o município, algo que seria o “sonho de qualquer prefeito do Rio Grande do Norte”.

O compactador de lixo faz parte de uma frota comprada pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), conforme uma publicação no próprio perfil institucional da Prefeitura no Instagram. A estatal que é vinculada ao MDR, pasta que foi comandada pelo candidato Rogério Marinho.

“Eu quero aqui dizer ao grupo a importância do senador Rogério Marinho. Tanto Ludmila [Amorim, ex-prefeita de Rafael Godeiro] quanto eu tínhamos um sonho, como também é um sonho de qualquer prefeito do Rio Grande do Norte. Conseguir um carro compactador de lixo para o nosso município. Isso ocorreu agora. O carro já está aqui. A gente está resolvendo os outros detalhes para ele começar no início de outubro a recolher o lixo do nosso município. E quem conseguiu esse carro de lixo? O senador Rogério Marinho, minha gente. Um carro que custa praticamente R$ 400 mil reais. A prefeitura jamais tem condição de conseguir um carro desse. Esses carros só vêm para municípios com mais de 17 mil habitantes. Mas o senador Rogério Marinho vendo a nossa vontade, o nosso desejo, ele anteriormente, muito antes da eleição, de começar o período eleitoral, ele viabilizou e o carro está aqui no município”, diz Abel no áudio.

Ameaça a professores

No mesmo áudio, o ex-prefeito critica a gestão de Fátima Bezerra (PT) no Governo do Estado e usa tom de ameaça aos professores do município, que supostamente não apoiam Rogério Marinho nem Fábio Dantas, candidato ao Governo do Estado pelo Solidariedade, nas eleições deste ano. “Qual é a de vocês então? Qual é a de vocês professores da escola estadual, municipal, de Rafael Godeiro, fazendo campanha contra um homem desse? Qual é a de vocês, que foi aprovado o piso pelo presidente Bolsonaro e vocês fazendo campanha orientando os jovens a votar contra o certo. Vão tomar [inaudível], vão cuidar da vida de vocês, pelo menos, pelo menos da vida de vocês, mas não atrapalha os demais eleitores do município”, diz ele.

Ele diz ainda que irá “derrotar” os professores que são contra Fábio Dantas e contra Rogério Marinho. “Está na hora desses professores da escola municipal, a gente dá um basta neles. Vamos enfrentar esses professores que são contra o presidente e vamos enfrentar os professores que são contra o senador Rogério Marinho, que são contra o governador Fábio Dantas. Porque a professora Fátima nunca resolveu nada dessa escola. Nunca, nunca, nunca, nunca. E vocês vão ficar babando ela por quê? Porque sabe o quê? Ela está derrotada. E vocês podem se aquietarem [sic] que a derrota vai ser grande, viu?”.

Abel também afirma que os professores irão “levar bomba”, e tece críticas a petistas. “Pode ficar derrotada, e a vitória do povo sabe como é? É com bomba, viu? Vocês vão levar bomba, viu? Vocês que são professores que não reconhecem o que o presidente Bolsonaro fez, está fazendo e vai fazer. E o que Rogério fez, está fazendo vai fazer. E o que o governador Fábio Dantas vai fazer. Se preparem, professores. Principalmente os que são petistas comunistas. O comunismo quer destruir o mundo. O comunismo é o demônio. É o demônio. E por que vocês são a favor do demônio? Pois nós somos a favor de Deus. Tchau e benção a esses professores comunistas de Rafael Godeiro”.

Atuação de Marinho enquanto ministro

Em agosto, a Controladoria-Geral da União (CGU) identificou potencial “manipulação política” em duas licitações da 3ª Superintendência Regional da Codevasf para a compra de tratores agrícolas e retroescavadeiras. De acordo com relatórios obtidos pelo Metrópoles, a CGU também apurou o superfaturamento de, no mínimo, R$ 19 milhões nas aquisições. Os equipamentos serão destinados a cidades de Pernambuco. Ao todo, foram licitados 325 tratores agrícolas, no valor total de R$ 62,1 milhões, e 175 retroescavadeiras, por R$ 61,7 milhões.

Os pregões foram homologados em outubro e dezembro do ano passado, enquanto o candidato ao Senado Federal Rogério Marinho (PL) ainda era ministro de Desenvolvimento Regional. A XCMG Brasil, uma das empresas vencedoras e braço da multinacional chinesa, já recebeu, apenas em 2022, mais de R$ 383 milhões do governo federal – sendo R$ 155 milhões por meio do chamado Orçamento Secreto.

Além disso, uma fileira composta por, pelo menos, 26 caminhões, sete tratores e dois arados estavam no pátio da Universidade Federal do Semi-Árido (Ufersa), em Mossoró, até a última quinta-feira 8. Os veículos foram comprados pela Codevasf, estatal ligada ao MDR, pasta que foi comandada pelo candidato ao Senado Federal Rogério Marinho (PL), para possivelmente serem entregues a aliados políticos.

A reportagem publicada no dia 12 deste mês pelo jornal Folha de S. Paulo revela que, graças a uma operação casada da gestão Jair Bolsonaro (PL), candidato à reeleição, para executar manobras na lei e em doações oficiais, esses produtos poderão ser distribuídos em pleno período eleitoral, driblando a legislação que impedia a prática do toma-lá-dá-cá com fins políticos. De acordo com a Folha, enquanto as manobras são formalizadas em âmbito nacional, os veículos da Codevasf estão há meses no campus da Ufersa, aguardando para envio a cidades potiguares.

Rogério foi denunciado por uso de verba pública e estrutura estatal em troca de apoio eleitoral

O candidato ao Senado Carlos Eduardo Alves (PDT) interpôs, em 16 de agosto, junto ao Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE-RN), uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral (Aije) contra Rogério Marinho (PL). Na ação, encaminhada à Corregedoria do TRE-RN, o advogado e especialista em Direito Eleitoral Erick Pereira – que representa o candidato pedetista, aponta fatos que, supostamente, configuram atos de abuso de poder político e econômico no pleito de 2022 praticados por Rogério.

Na ação, constam relatos de que ex-ministro Rogério Marinho, com intuito de obter apoio político, articulou um esquema bilionário envolvendo o MDR, chegando a costurar mudanças na estrutura da Codevasf, que posteriormente serviria como apenso para seus projetos políticos. A ação também descreve que verbas eram repassadas apenas para os apadrinhados do ex-ministro.

Erick Pereira, representante de Carlos Eduardo Alves, apontou que Rogério Marinho teve sua cota de indicações dentro do total de R$ 3,3 bilhões do chamado Orçamento Secreto, empenhados pelo governo federal em dezembro, só da parte do MDR. Dos R$ 130 milhões que o gabinete do ex-ministro direcionou — sem ser a pedido de parlamentares —, dois terços (R$ 88 milhões) têm como destino o RN.

“O objetivo dessa ação de investigação eleitoral é evitar discriminação, evitar que verbas federais apenas sejam direcionadas para amigos do rei. Só vai para quem apoia o atual governo federal. Nós queremos, com essa investigação, que se levante por que não está sendo distribuído de forma igual. Todos os municípios devem receber de forma proporcional, igual, e não fazer como vem sendo feito, direcionada e escolhida pelo candidato do Governo Federal”, afirma o advogado.

“Essa discriminação tem que ser combatida. Ela quebra o princípio da igualdade, quebra o equilíbrio da eleição. Os indícios são que existem direcionamentos dentro dessa distribuição, privilegiando uns em detrimento de outros. Precisamos combater essa forma de discriminar os municípios que não estão apoiando o atual Governo Federal. Por que os amigos do rei têm direito a essa verba, e não todos que fazem parte do Rio Grande do Norte?”.

Fonte: AGORA RN

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.