Entrevistas

Entrevista com {Aparecida Venceslau}

A cidade de Parnamirim clama por oportunidades, mudanças e transformação! As comunidades espalhadas nas quatro regiões do Município pedem apenas o básico e de direito de todos, saúde, educação e infraestrutura. Os jovens precisam de mais oportunidades e qualificação para ingressar no mercado de trabalho. Os menos favorecidos da sociedade pedem mais assistência social e menos mídia nas redes sociais. A educação e seus profissionais estão cansados de promessas que nunca saem do papel. As ruas estão cada vez mais precárias. O esporte e o lazer precisam de mais investimentos. A cultura virou uma piada!
Acreditem, o poder da mudança está em nossas escolhas. Por esse motivo o Jornal do Estado abre espaço a partir desta edição para pessoas que almejam ajudar a cidade “Trampolim da Vitória” com seus projetos que possam alcançar o coletivo mais do que o individual. Cidadãos que possuem relevantes serviços prestados à municipalidade e que poderão nas próximas eleições colocar seus nomes para julgamento popular. Caso decidam não participar ativamente como candidatos, mas estarão nos bastidores participando do maior pleito que se espera de Parnamirim dos últimos anos. O objetivo dos questionamentos é começar a mostrar a população, quem são e o que fazem os propensos postulantes aos cargos eletivos nas eleições municipais de 2024, e assim, proporcionar mais conhecimento aos eleitores, já que são eles os grandes responsáveis por eleger nossos representantes. 

 APARECIDA VENCESLAU

Mulher guerreira e batalhadora que luta pela cidadania, paz e pela igualdade, além de ser defensora das causas públicas e humanitárias sempre defendendo os direitos das mulheres parnamirinenses, Aparecida Venceslau surge como uma das revelações importantes nesse cenário de mudanças da política local. Para conhecer resumidamente, o que pensa essa servidora pública federal (atua como gerente de expediente da Agência dos Correios em Parnamirim), a idealizadora do projeto “Mulheres M+is” que traz como ideia central o desenvolvimento do município e a implantação de políticas públicas pelo social.

Assim, para conhecer um pouco sobre o que pensa Aparecida Venceslau, a convite do Jornalista Genilson Souto, o Jornal do Estado apresenta uma breve conversa com ela, por meio do Projeto “Entrevista com Gente que faz por Parnamirim”.

JORNAL DO ESTADO: Quem é a Aparecida Venceslau que Parnamirim, em geral, ainda vai conhecer melhor daqui pra frente? 

APARECIDA: Aparecida Venceslau, mais conhecida como Aparecida dos Correios, é filha, Mulher, casada com Edson Britto, administradora, teóloga, cristã evangélica, mãe de dois filhos Igor e Italo, gestora, mentora, irmã e amiga. Oriunda da zona rural de Espírito Santo\RN, a terceira dos dez filhos de Antônio venceslau de lima – agricultor e Alaice Chaves de lima, dona de casa. Na infância meus pais ensinaram a valorizar trabalho e estudo. Com 11 anos vendia produtos da AVON e Cristian Gray, aos 17 anos trabalhei como voluntária no Sindicato dos Trabalhadores Rurais, servindo as pessoas filiadas àquela instituição. Em fevereiro de 1986, com 18 anos, fui morar em Recife, logo que cheguei fui trabalhar numa bomboniere, no mesmo ano, 30 de abril, fui contratada para trabalhar nos Correios e Telégrafos. Morei oito anos em Recife, conheci meu esposo e quando tive o primeiro filho fomos morar em Caruaru\PE, depois em Arcoverde\PE por último Surubim\PE. Quando decidimos retornar para meu estado em 1999. Escolhi Parnamirim para morar, criar os meus filhos e trabalhar. Sempre trabalhei visando prestar um serviço de atendimento com respeito e valorização a população de Parnamirim, busquei espaço para desenvolver ações e trabalhos sociais. Adotei o Papai Noel nas Escolas e na APAE de Parnamirim, forma de agradecer e retribuir a população aquilo que recebemos de Parnamirim. Sou apaixonada pelo empreendedorismo feminino, como mentora de Mulheres, sou idealizadora do projeto Mulheres Ma+s, juntamente com Jardeline Estelina. 

JORNAL DO ESTADO: Você mora em qual bairro do município e o que pensa dele? 

APARECIDA: Moro em Emaús, mais conhecido como Parque Industrial. Emaús é um bairro com característica familiar, tem fácil acesso, o bairro integra muitos serviços para população, homens e mulheres gostam de empreender no comercio local e o artesanato tem sido uma fonte de renda para mulheres. Meu desejo é “romper” oslimites da BR para aproximar as pessoas, criando vínculos e desenvolvendo a cultural e o comercio local. 

JORNAL DO ESTADO: Como foi a sua chegada em Parnamirim?

APARECIDA: Estava retornando para meu RN, e pensamos em uma cidade para morar que tivesse educação de qualidade, fosse tranquila, desenvolvida e próximo do meu trabalho. Parnamirim tinha todas as condições que eu e minha família precisávamos. 

JORNAL DO ESTADO: Conte-nos como é a sua relação com a sociedade?

APARECIDA: Tenho uma relação muito boa com a sociedade de todas as classes sociais de Parnamirim. Fui muito bem acolhida nessa cidade, desde que aqui cheguei. Estar à frente da gestão de uma empresa pública do porte dos Correios há quase 22 anos, aproxima-me ainda mais das pessoas, tem sido, um desafio corresponder o carinho das pessoas. Como gratidão, fica o meu legado histórico, com a mesma ética e garra desde o primeiro dia de trabalho, construindo pontes com a sociedade, não apenas por meio das correspondências, mas por minha proximidade com a população, quando procuro servir e atender de forma empática, humanizada, facilitando a vida das pessoas e tornando meu trabalho leve e com sentimento de dever cumprido. 

JORNAL DO ESTADO: Qual a sua missão na sociedade parnamirinense?

APARECIDA: Conectar-me com pessoas, sobretudo às mulheres, construir pontes com os bairros, por meio dos trabalhos que desenvolvo em Parnamirim; criar espaço para implementar ações sociais; melhorar o bem-estar das pessoas; e estimular o empreendedorismo, nutrindo as habilidades dos cidadãos e fortalecer as famílias. 

JORNAL DO ESTADO: Por que você tomou a decisão de sair dos bastidores e entrar na política partidária?

APARECIDA: Sempre me interessei por política. Fiquei por anos nos bastidores, apoiando e participando das ações nas comunidades e instituições, fazendo um pouco daquilo que desde a minha infância observava meus pais fazerem na comunidade, que era cuidar de pessoas. Hoje tenho plena consciência que contribuí com Parnamirim em vários setores da sociedade, e com essa maturidade desejo fazer mais por Parnamirim e pela sociedade, que conhece o trabalho de Aparecida Venceslau – mais conhecida como Aparecida dos Correios. Que aos longos dos anos tem prestado a Parnamirim serviços que muito me honra. Na política busca-se espaço para transformar vidas, ajudar a avançar e desenvolver políticas públicas e essenciais para sociedade e para Parnamirim. 

JORNAL DO ESTADO: Está disposta a fazer uma campanha diferenciada em 2024 para conquistar uma vaga de vereadora?

APARECIDA: Sim, tenho desejo no meu coração, tenho apresentado esses projetos a Deus, conversado com minha família e amigos. Os serviços prestados em Parnamirim me credenciam para conquistar um espaço. Tenho vínculos fortes com as pessoas, sempre estive disposta a somar com o município e com vários seguimentos da sociedade. Pretendo fazer um trabalho com proposta claras, reais, objetivas e com responsabilidade. 

JORNAL DO ESTADO: Quais seus planos para alcançar todos os bairros com suas ideias políticas? 

APARECIDA: Tenho conversado com pessoas amigas e influentes nas comunidades que têm credibilidade de trabalhar o nome de Aparecida Venceslau e apresentar os trabalhos que temos realizado nos bairros de Parnamirim. São conversas para um alinhamento futuro. 

JORNAL DO ESTADO: O que motivou sua entrada na política? 

APARECIDA: Sempre me interessei por política, pois ainda criança, ouvia meus pais falarem sobre o tema, e nessa época morávamos no sitio, e diariamente escutávamos, no rádio, a Voz do Brasil. Hoje os motivos são outros, além da minha vocação para cuidar de gente, Parnamirim precisa de mais mulheres na política, e meu desejo é fazer um trabalho limpo e diferente. Acredito que a política deve ser para pessoas com vocação, é um espaço importante para os bons trabalhar com justiça pelo bem comum. 

JORNAL DO ESTADO: Você representa que segmento e ou bairros principalmente? 

Nesse contexto, que experiência foram agregadas para exercer, caso exerça no futuro, a função de vereadora por Parnamirim?

APARECIDA: Moro no Bairro de Emaus, o vereador representa o seu município, nesse caso. Parnamirim tem bairros, com características e necessidades diferentes. Precisamos fomentar políticas que viabilize atender a realidade de cada comunidade. Com as experiências vivenciadas na pratica, com minha mãe e minha irmã especiais, tenho contribuído com ações em prol das pessoas com deficiência e mobilidade reduzida. Continuarei buscando espaço para melhorar a qualidade de vida das pessoas e de seus familiares. Essas necessidades e outras necessidades espaciais, precisam de cuidados e um olhar com mais amor e respeito. Experiências vivenciadas com mulheres. Essa parceria com mulheres me aproxima dos problemas e das diferentes necessidades femininas. Fomentar política para impulsionar e nutrir o desejo das mulheres empreenderem no mercado. Promoção de cursos e capacitação para jovens empreendedores. Experiência vivenciada por meio da ação aplicar na pratica, como Adviser do Júnior Achievement. 

JORNAL DO ESTADO: A senhora já tem uma folha extensa de serviços prestados em cargo público como funcionária de agências dos Correios, tendo inclusive mais de 20 anos somente como gerente em Parnamirim. Conte um pouco para gente como foi esse período e o que extraiu dessas experiências?

APARECIDA: Durante esse período acumulei muitas experiências que foram além das minhas atribuições, capacitação e conhecimento. Quando aqui cheguei, em 1999, me interessei e busquei conhecer Parnamirim, a cidade que escolhi para morar. Tive a honra de testemunhar o lançamento do livro “A História de Parnamirim” na gestão do prefeito Agnelo Alves, acompanhei o crescimento e o progresso que transformou Parnamirim. Durante esses anos vou ouvindo as pessoas e construindo meus filtros sobre a cidade que acolhe todas as pessoas. São muitos os aprendizados, logo, vou me engajando com Parnamirim e suas peculiaridades. Quero dizer que é um privilégio, estar a mais de duas décadas servindo a Parnamirim e as pessoas com zelo, carinho e respeito. Tornei-me cidadã parnamirinense em 2021, por meio de um título de cidadã concedido pela vereadora Fatiavam, que além do privilegio, me trousse mais responsabilidade para com Trampolim da Vitória. 

JORNAL DO ESTADO: É verdade que a senhora juntamente com uma colega coordena um projeto voltado para às mulheres em situação de vulnerabilidade social. Que projeto é esse? Quando foi iniciado?

APARECIDA: O Projeto Mulheres Ma+s, visa fortalecer a identidade da mulher, por meio de capacitação, o projeto foi idealizado por Aparecida Venceslau e Jardeline Estelina, iniciado em 2021. Um trabalho que atende mulheres de todas as classes sociais. Um movimento que tem conectado e impactado a vida de Mulheres em Emaús. A ideia é ampliar para outros bairros de Parnamirim. Quando uma Mulher conhece a sua real identidade e alinha suas emoções, ela contagia sua família e a sociedade. JORNAL DO ESTADO: Muitos “homens” consideram que as mulheres não estão preparadas para assumir cargos públicos, por isso as depreciações, as formas de ofensa. Como destruir esse preconceito? São crenças que devem ser quebradas, homens e mulheres são dotados de capacidade. Basta Se preparar, potencializar os conhecimentos, não ter medo de viver os processos e desempenhar o cargo com excelência. Tivemos o exemplo da ministra da agricultura Tereza Cristina, e com ela o Brasil foi protagonista no agro. Somos capazes de trabalhar. As mulheres devem continuar buscando seu espaço com competência e conhecimento.

JORNAL DO ESTADO: Qual a sua expectativa para esse ano de 2023?

APARECIDA: Fechar alguns ciclos para viver nossos processos de mudança na vida profissional e pessoal, concluir a leitura da Bíblia e outros livros, realizar novos cursos, contribuir com aquilo que tenho, continuar me conectando com as mulheres e com pessoas que compartilham com meu sucesso. 

JORNAL DO ESTADO: Suas considerações finais. 

APARECIDA: Agradeço a Deus, porque até aqui me sustentou; a minha família que é minha base; a você Genilson, pelo espaço no Jornal do Estado; aos meus colegas que não medem esforços para servir comigo em Parnamirim; a todos meus amigos e clientes. Desejo que avancem nos seus projetos, vocês são os únicos responsáveis pelos seus resultados. Um forte abraço. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *