BRASILECONOMIA

Carne de frango: exportações do Brasil seguem batendo recorde

Segundo relatório do Rabobank, mesmo com a queda de 18% nos embarques brasileiros para a China (maior destino das exportações brasileiras, respondendo por cerca de 12% do total), as exportações de carne de frango continuam em alta e devem bater mais um recorde em 2022.
Em outubro de 2022, por exemplo, as exportações da proteína aumentaram 5% em volume e 29% em valor. Os custos mais altos de ração estão sendo absorvidos pelo mercado externo, o que também aumentou a competitividade do frango de corte brasileiro no cenário internacional, aponta o Rabobank.
Os Emirados Árabes Unidos, que seguem a China como segundo maior destino, registraram alta de 22% nos embarques. O Japão teve uma queda de 3% no mesmo período. A União Europeia mais o Reino Unido se destacam e devem ultrapassar a Arábia Saudita como o quarto maior destino da carne de frango nacional, com aumento de 16% nas compras do Brasil.
Filipinas, Cingapura e Coreia do Sul também aumentaram fortemente suas importações e devem continuar trazendo oportunidades, com altas de 45%, 53% e 63%, respectivamente, no mesmo período. O México aumentou em 29% suas importações do Brasil, após reduzir a zero as tarifas de importação, e continua sendo uma boa opção para o Brasil. O Rabobank projeta um aumento nas exportações de 4% a 5%, em comparação anual, de volume para 2022.
A pressão da gripe aviária deve receber maior atenção, dada a recente confirmação de surtos da doença na Colômbia e no Peru. As medidas para reduzir os riscos de contaminação já foram reforçadas pelo setor. Ao mesmo tempo, a gripe aviária também pode trazer oportunidades de exportação para o Brasil, principalmente na Europa e na Ásia, onde a oferta é escassa.
Uma combinação de forte valorização da carne bovina e menor poder aquisitivo resultou em um aumento de 13% no consumo per capita de carne de frango nos últimos três anos. No entanto, com os preços da carne bovina caindo desde o final do primeiro trimestre de 2022, enquanto os preços dos frangos permaneceram estáveis, a competitividade da carne bovina melhorou e o consumo de frangos deu sinais de saturação.
Com uma diferença de preço menor entre as carnes, o Rabobank projeta que este cenário se mantenha no início de 2023, pois o forte apelo cultural da carne bovina deve favorecer a retomada do consumo da proteína.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *